Buscar
  • Manoela. Gonçalves Ramos

Anastácia livre e eu também!

Você conhece a história da santa Anastácia?



santinho Anastácia Livre feito pelo artista Yhuri Cruz


Me lembro a primeira vez que me deparei com a imagem de Anastácia, ao lado de diversos santos na casa de uma amiga, quando adolescente. Uma outra amiga insinuou que a energia do lugar era estranha e justificou na figura de Anastácia. Aquela santa amordaçada me intrigou e desde então, me conectei com sua história e com a relevância daquela imagem ao lado dos santos católicos.

Tempos depois, na Bahia, na casa da minha tia avó, vi novamente sua imagem ao lado de diversos santos.

Ano passado quando fui me apresentar na Flipelô, na Igreja no Rosário dos Pretos, fui até seu santuário e me conectei com sua imagem. Ela amordaçada sem poder falar e eu indo passar minha mensagem dentro de um espaço sagrado.

Agradeci por toda a luta que me fez viver hoje livre. Por ser uma mulher preta livre!



Santuário na Igreja Rosário dos Pretos no Pelourinho-BA


Igreja Rosário dos Pretos Pelourinho-BA


Passa mais um tempo, e uma amiga diz que não sabe o que faz com a imagem da santa amordaçada que tem em sua casa, que lhe causa certo desconforto.. eu disse que ela poderia me dar, que eu cuidaria. Não me incomodo em lembrar essa parte da história e reverenciar também meus ancestrais que lutaram e sofreram tanto. E essa é uma santa que me chama atenção desde que sou adolescente. A única preta em meio aos santos brancos...


O santinho da Anastácia livre foi feito pelo artista Yhuri Cruz para libertar um povo que foi crucificado até quando santificado. Para nos lembrar que somos livres, por mais que tenham amordaçados nossos ancestrais.

Ganhei ontem esse santinho da Mari e vou bolar uma forma de libertar a minha imagem também, sem mordaças, Anastácia é livre!




Anastácia foi uma princesa bantu escravizada que chamava muito atenção por sua personalidade, beleza, resistência e poder de cura e auxílio aos outros escravizados.

Sua beleza despertava o interesse dos senhores que tentavam a todo momento abusar sexualmente do seu corpo. Tendo resistindo bravamente e impedindo que fosse violentada sexualmente, sofreu muitos castigos, muitos deles comandados pelas mulheres dos senhores que morriam de inveja da sua beleza. Uma das maiores punições que recebeu foi uma mordaça de ferro retirada apenas para comer.

Sua história despertou milhares de devotos, sendo cultuada em alguns lugares do Brasil e no continente africano.



64 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo